Terça, 12 Dezembro 2017
Email
Adicionar aos Favoritos
RSS

escola tecnológica do litoral alentejano

No ensino técnico e profissional de qualidade, desde 1990.

 
youtube_logo

 

PARCEIRO:

ISA_Portugal2Col 

 

 

 

Pelo Código dos Contratos Públicos (CCP), todas as compras por entidades públicas deverão ser realizadas por via eletrónica em Plataformas Eletrónicas de Contratação, pelo que a ETLA adotou a Plataforma Eletrónica de Contratação vortalGOV.

Versão para impressão Enviar por E-mail

A LOGÍSTICA NA PLATAFORMA INDUSTRIAL E MARÍTIMO-PORTUÁRIA DE SINES

 

por Cordeiro Catarino - (antigo Diretor da Refinaria de Sines da GALP)


ENQUADRAMENTO DAS ATIVIDADES LOGÍSTICAS

   As atividades logísticas inerentes à operação das principais unidades industriais da Plataforma estão presentes desde o início da sua laboração. Também o próprio Porto de Sines acolheu desde o princípio da sua atividade, algumas atividades logísticas independentes das operações daquelas unidades industriais.

   Posteriormente e com o arranque do Terminal XXI iniciaram-se atividades logísticas de um cariz completamente diferente das que haviam existido até essa altura, que como bem sabemos estão ainda em pleno desenvolvimento.

   Esta evolução transformou Sines no mais importante polo industrial e logístico do nosso país.

FORMAÇÃO NA PLATAFORMA

   Para dar resposta à necessidade de formação dos profissionais das empresas industriais e das estruturas portuárias, houve necessidade de cada uma delas promover ações internas tendentes a superar as carências existentes. Posteriormente as empresas prestadoras de serviços de manutenção em particular e não só, também começaram a promover formação aos respetivos profissionais, por vezes em colaboração com estruturas empresariais e com o Instituto de Emprego e Formação Profissional.

   Foi neste contexto que surgiu a Escola Tecnológica do Litoral Alentejano (ETLA), que tendo nascido como estrutura de suporte a uma unidade industrial, evoluiu para a realidade atual em que aparece como uma entidade vocacionada para o ensino profissional para apoio às necessidades da Plataforma, em alguns domínios específicos em que leciona uma formação de reconhecida qualidade. São de salientar as atividades formativas em áreas em que não existe outra oferta a nível nacional, como a Instrumentação e Controlo (aplicável à indústria de processo aqui existente) e a Química Industrial com respostas nos domínios operacional e de análise química.

   Têm surgido algumas iniciativas na região que têm a sua importância no apoio à Plataforma, por exemplo no domínio da metalomecânica e em algumas zonas imprescindíveis ao bom funcionamento deste polo industrial e logístico (ex: ambiente e segurança, gestão, entre outras), mas em que é fundamental uma esclarecida coordenação para que exista uma linha orientadora que seja suporte duma estratégia de sucesso.

 

A LOGÍSTICA E A PLATAFORMA

   As valências de formação até esta altura não contemplavam a área de Logística, para além da que era ministrada ao nível empresarial para suportar as necessidades existentes, mas em que era patente a necessidade de se caminhar para um aprofundamento dos conhecimentos específicos inerentes a esta atividade, e em particular com o início das operações de manuseamento de carga contentorizada com a dimensão da atualmente existente na área do Porto de Sines, e que como sabemos e esperamos está numa fase crescente.

   É pois evidente que existe a necessidade de dar uma resposta adequada a esta realidade, e tal só poderá ser concretizado através da formação profissional

   Os cursos profissionais no nosso país têm sido o "parente pobre "do sistema de ensino, ao invés do que se tem passado em latitudes com maior índice de desenvolvimento, mas felizmente começa a haver um discurso a nível governamental de reconhecimento deste tipo de formação como sendo "...um dos pilares mais importantes da qualificação...".Esperemos que este discurso tenha uma concretização objetiva, em particular neste polo fundamental para o nosso país na criação de riqueza.

   Deve-se referir que segundo previsões da U.E., em 2020 o nosso país ainda terá um enorme défice de profissionais das áreas tecnológicas, o que significa que este tipo de formação terá saídas profissionais asseguradas e terá de ser necessariamente uma prioridade nacional.

   É nesta lógica que, em boa hora, surgiu a hipótese da criação de formação de matriz superior em horário pós-laboral (Curso Técnico Superior Profissional (CTeSP) de Logística), numa ação da Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), com a colaboração ativa da ETLA que disponibiliza algumas das suas instalações e professores, para além de colaborar em outros aspetos relevantes (estratégia, conhecimento da realidade local, etc.).

   Este CTeSP para além de proporcionar uma aquisição de conhecimentos profundos na área da Logística, cobre todos os domínios das especialidades existentes na Plataforma (graneis líquidos, sólidos, contentores, etc.). O objetivo desta ação é formar profissionais capazes de analisar e melhorar processos logísticos na organização, dotá-los ainda de competências técnicas que permitam uma análise integradora da cadeia de abastecimento onde se insere a organização, propondo novas soluções como suporte a planos de operação e relatórios de desempenho. Os profissionais serão capazes de assumir e coadjuvar as funções de operador logístico, gestor de armazém, gestor de tráfego e" procurement" numa organização. Esta formação tem como objetivo formar profissionais diversos no universo logístico (Técnico de Logística; Responsável por equipas logísticas; Operador de armazéns; Técnico de transportes, rotas e frotas; Operador de movimentação de produtos; Operador de plataformas logísticas e industriais, etc.).

   Refira-se que o IPS em parceria com a ETLA já iniciou a 2ª edição do CTeSP de Automação, Controlo e Instrumentação Industrial (ARCI), decorrendo neste momento os trabalhos preparativos do lançamento no ano letivo 2017/18 do CTeSP de Tecnologias de Laboratório Químico e Biológico.

   Este tipo de formação que tem a duração de 4 semestres letivos, sendo o último de estágio curricular, confere no seu final um "Diploma de Técnico Superior Profissional " (D.L. nº 43/2014). Abre igualmente a possibilidade dos técnicos formados nesta lógica continuarem a sua formação superior com reconhecimento de 120 créditos, adquirirem um grau académico ao nível de Licenciatura.

 

   Nasce assim o ensino superior público ministrado na região de Sines, com a colaboração fundamental da ETLA! 

 
 
 
 

 

Promotores da ETLA:

 


 

 

logo_cmsc_2016

 

logo_cms_2016

 

 

 

SinesTecnopolo

.

 

logo_qualidade_2016 mec   poch portugal_2020

Support Wikipedia Copyright © 2017. ESCOLA TECNOLÓGICA DO LITORAL ALENTEJANO